Comunicar em Segurança

O Comunicar em Segurança é um programa da Fundação Portugal Telecom que pretende contribuir para uma cidadania digital consciente, segura e responsável junto dos mais jovens, pais e encarregados de educação e população sénior, através de sessões de sensibilização, de uma peça de teatro e um passatempo dirigido aos alunos.

O programa conta com o apoio da PSP (Polícia Segurança Pública), Centro de Internet Segura – Fundação da Ciência e Tecnologia; ANPRI (Associação Professores de Informática), RBE (Rede de Bibliotecas Escolares) e tem sido reconhecido como boa prática a nível europeu, no ICT Coalition.

Em  2012 foi distinguido com o Troféu Português do Voluntariado, atribuído pela Confederação Portuguesa do Voluntariado (CPV).

Em 2016 integra o Consórcio da Internet Segura de Portugal  "Vamos ensinar a comunicar em segurança" é o lema que, desde o ano letivo de 2008-2009 tem movido os colaboradores PT, em regime de voluntariado, a percorrer as escolas de Portugal com o objetivo de alertar, sensibilizar e contribuir, junto das comunidades educativas, para a utilização adequada das tecnologias de informação.

Pretende-se, portanto, apelar para uma utilização adequada da internet, telemóveis e redes sociais; alertar para os riscos decorrentes de uma utilização menos preocupada; ensinar algumas dicas aos mais distraídos e tentar convencer os mais resistentes, através de exemplos práticos; difundir o uso da tecnologia, de forma segura, em benefício da sociedade.
 
Ações promovidas
Este projeto destina-se a alunos do Ensino Básico  e do Secundário, pais e encarregados de educação e seniores e conta com a parceria da PSP, RBE, ANPRI que promovem as mesmas sessões em escolas e locais mais isolados e fora do raio de deslocação dos colaboradores voluntários.

Principais números
2008 -2016 : 340 mil alunos; 9.300 sessões ; 2.565 escolas; 655 voluntarios PT , 215 teatros.

Participação de voluntários PT
Este projeto conta com a participação de voluntários PT que se deslocam às escolas portuguesas e são os responsáveis pela realização das ações de sensibilização, que decorrem em ambiente de sala de aula, recebendo, previamente, formação para a correta utilização dos materiais pedagógicos.

O voluntário pode realizar o número de ações que desejar. Procura-se, sempre que possível, colocar o colaborador voluntário numa escola perto ou do seu local de trabalho ou da sua residência. A deslocação, quando necessária, é suportada pelo centro de custos da direção do colaborador. A ausência deve ser justificada em portal com o código 520 (limite de 5 dias por ano).

Esclarecimentos adicionais
E-mail: comunicaremseguranca@telecom.pt
Site: www.comunicaremseguranca.sapo.pt

 
Facebook Twitter Google+