Cabines PT ligadas à Cultura

Micro bibliotecas

As cabines de leitura têm sido dinamizadas pela Fundação PT, que reaproveita as antigas cabines telefónicas e estabelece parcerias com entidades autárquicas ou outras, para a adaptação, colocação e dinamização destas mini bibliotecas que têm por objetivo estreitar laços comunitários, exercitar a cidadania, fomentar a leitura, sobretudo junto dos mais novos, e promover o gosto pelos livros num espaço totalmente inesperado.

À primeira vista são as antigas cabines da PT. Mas à medida que nos aproximamos, em vez de um telefone o que vemos no seu interior são centenas de livros. Nasce assim um novo e criativo espaço de leitura em áreas urbanas, com base num símbolo emblemático da Portugal Telecom.

Estes espaços passam a contar com centenas de títulos, incluindo literatura infantil e juvenil, romances, policiais, culinária, biografias, entre outros, habitualmente doados por editoras, livrarias e/ou pelos moradores dos bairros.

"Levar, doar, ler, devolver" é o mote exposto nestas antigas cabines telefónicas que, depois de restauradas, se transformam em bibliotecas comunitárias.

A ideia da reconversão das cabines telefónicas antigas inspira-se num movimento iniciado há alguns anos na pequena aldeia de Westbury-sub-Mendip, no sudoeste de Inglaterra, onde os seus moradores se lembraram de converter uma das cabines telefónicas classicamente encarnada na mais pequena biblioteca do mundo.

O problema causado pela distância às bibliotecas mais próximas e a falta de bibliotecas móveis foi assim resolvido, aproveitando as cabines cada vez menos utilizadas. Estas novas bibliotecas têm sido um sucesso e outras povoações seguiram a iniciativa, incluindo Londres.

Em Portugal, o conceito tem vindo a ganhar sucessivos adeptos em muitas localidades de todo o país, que já as transformaram em diversos tipos de equipamento urbano.

Arte urbana

Em 2013, oito cabines telefónicas desativadas foram transformadas em mini-instalações artísticas, nas Caldas da Rainha. Esta iniciativa foi o resultado de uma parceria entre a Fundação PT e a Escola Superior de Artes e Design (ESAD. CR), que desenvolveu o projeto “Passa à Cabine”.

O projeto envolveu cerca de 60 pessoas, entre alunos, antigos alunos, professores e técnicos da ESAD.CR e partiu do desafio de fazer “algo diferente” com as cabines da Portugal Telecom. As cabines foram estrategicamente distribuídas pela cidade, a exposição manteve-se patente durante uma ano e transformaram-se em mini representações de cinema, de hotel, de teatro, de museu, de bar, loja e de concerto.

Conheça aqui as  inaugurações de cabines telefónicas que se transformaram em equipamentos culturais: 

Barcelinhos | Caldas da Rainha | Praça de Londres | Açores | Vila Nova de Milfontes | Ponta do Sol | Laranjeiro

Trafaria | Leiria | Coimbra | Campo de Ourique | Parque das Nações | Alto de S. João | Amarante | Amadora 1  

Caldas da Rainha | SagresSanta Maria Maior | Amadora 2 | Beja | Constância

 Vídeo 1        Vídeo 2         Vídeo 3

 

 

 

 
  

 

 

 


 

 

 

Facebook Twitter Google+