Responsabilidade Social: um caminho partilhado  26 Ago

Responsabilidade Social: um caminho partilhado

O respeito e a valorização da sociedade, a par do contributo para o seu desenvolvimento, são motivações estratégicas na Fundação PT, uma instituição que tem metas claramente definidas e resultados concretos ao nível do papel socialmente responsável que desempenha.

Equipa Fundação PT

Em Portugal e nas diversas geografias em que a PT está presente encontramos a mesma convicção na promoção da inclusão e da literacia digital; no apoio a iniciativas que fomentam a saúde, a segurança das pessoas e do ambiente; e, paralelamente, o compromisso com o desenvolvimento pessoal dos colaboradores e das suas famílias. 

Este caminho a PT percorre-o lado a lado com instituições sem fins lucrativos, criteriosamente selecionadas pela Fundação PT, que tornam esta história uma história partilhada, em que os investimentos sociais se cruzam e as sinergias se multiplicam.

“A missão da Fundação PT passa por promover a utilização das Tecnologias de Informação e Comunicação", afirma Óscar Vieira

Os resultados estão lá fora, nas instituições, nos lares de muitos portugueses, na vida de pessoas que direta ou indiretamente beneficiam da atuação destes agentes sociais.

Mas o respeito pelas comunidades com que a PT se relaciona não se manifesta apenas no contexto social, estende-se às áreas económica e ambiental, contribuindo para que o quinto objetivo estratégico da empresa seja alcançado – ser uma referência em sustentabilidade. A atuação sustentável é reconhecida externamente ao integrar simultaneamente os dois principais índices internacionais de investimentos sustentáveis, o Dow Jones Sustainability Index e o FTSE4Good. 

Ação 'Um Computador, Uma Oportunidade' envolveu voluntários PT

O apoio à sociedade 

Como empresa responsável, a intervenção da PT passa por contribuir para uma sociedade mais inclusiva e equilibrada, atuando junto da população mais carenciada. O apoio à sociedade desdobra-se em diversas iniciativas, como os programas de apoio à inclusão e educação digital, à promoção do conhecimento, da saúde, da segurança, da cultura e do ambiente.

O apoio à sociedade é concretizado no contexto externo através da Fundação PT e das marcas comerciais - MEO, TMN e SAPO, uma resposta que se traduz num investimento total na sociedade, em 2010, no valor de cinco milhões de euros.   

 

O Comunicar em Segurança sensibilizou alunos e professores para a temática da literacia na área das Tecnologias de Informação


“A missão da Fundação PT passa por promover a utilização das Tecnologias de Informação e Comunicação, de um modo sustentável, nas geografias onde a Portugal Telecom está presente, ao serviço das dimensões sociais, especificamente educação, saúde e inclusão digital”, esclarece Óscar Vieira, administrador delegado da Fundação PT.

“Entendemos que qualquer uma destas áreas tem muitos pontos comuns com aquilo que é o core do grupo. É normal que concentremos a nossa atuação naquilo que o grupo sabe fazer melhor, nas áreas em que reúne competências provadas e firmadas”. Neste sentido, tem sido garantido um esforço de aproximação a áreas operacionais, tentando-se perceber como é que “a intervenção da Fundação pode ser coerente e convergente relativamente a essas áreas”. Por outro lado, “pretende-se também compreender em que medida cada uma dessas áreas pode contribuir para melhorar a eficácia da Fundação PT no âmbito dos projetos de responsabilidade social que promove”.  

A Fundação PT financiou duas soluções de Medigraf que cedeu ao Instituto Marquês Valle Flôr

"Outra das áreas de intervenção prioritária é a do voluntariado, que se traduz em dois programas - o Aurora e o Mão-na-Mão”, acrescenta o administrador. O Programa Aurora prevê que os colaboradores PT tenham a possibilidade de participar, até cinco dias por ano, durante o horário normal de trabalho, em projetos de desenvolvimento social, sem perda de retribuição ou reflexos na assiduidade. Por outro lado, o Programa Mão-na-Mão consiste num movimento de voluntariado, promovido pela PT e formalizado em 2001, em que participam diversas empresas. O projeto está direcionado para Instituições Privadas de Solidariedade Social e Misericórdias, bem como para estabelecimentos hospitalares e de ensino públicos que atuem para apoiar cidadãos vítimas de exclusão social. Em 2010, em Portugal cerca de 860 voluntários PT deram o seu contributo, num total de 1550 horas de apoio prestado à comunidade.

Ao nível da educação, o administrador delegado refere que “o enfoque é particularmente colocado na área de literacia”. Em destaque ficam projetos como o Comunicar em Segurança, um programa de sensibilização para a temática da literacia na área das Tecnologias de Informação, alertando em particular para a utilização segura da internet e dos telemóveis. É direcionado para alunos –  6058 no total, em 2010 – e professores. Um computador, uma Oportunidade é outro dos projetos desenvolvido há dois anos que visa a recuperação de computadores retirados de serviço da PT, consequente recuperação e oferta a entidades que desenvolvam projetos educativos. 

Ação de venda de t-shirts cujas receitas, que foram duplicadas pela Fundação PT, reverteram a favor da Associação Terra dos Sonhos

A missão estende-se à área da saúde, no âmbito da qual a Fundação PT “providencia soluções que contribuem para a humanização da prestação dos cuidados de saúde”. Nesse sentido, um dos projetos emblemáticos do impacto na sociedade é a parceria com o Instituto Marquês Valle Flôr (IMVF), que previu a disponibilização de duas soluções de Medigraf (uma instalada em Lisboa, na sede do IMVF, e outra em São Tomé e Príncipe, no Hospital Central Dr. Ayres Menezes), informou Óscar Vieira (veja aqui a notícia). O projeto Baby Care surge também como uma referência nesta área, uma solução que está atualmente instalada em quatro maternidades em Lisboa, Porto, Bragança e Ponta Delgada (veja aqui a notícia).

No contexto da inclusão digital “é garantido o apoio a cidadãos com necessidades especiais de comunicação”, através de projetos decisivos, como os desenvolvidos pela Fundação PT em parceria com a Qualcomm (veja aqui a notícia). Os projetos, de acordo com Óscar Vieira, visaram o apoio à criação de 14 polos de comunicação aumentativa e acesso à internet 3G, destinados a pessoas com deficiência mental ou multideficiências, em duas instituições: Fenacerci – Federação Nacional de Cooperativas de Solidariedade Social (Projeto LUZ) e a Unicrisano - União dos Centros de Recuperação Infantil do Distrito de Santarém e Outros (Projeto LUA).

Outros apoios foram adicionalmente concedidos: Fundação AFID Diferença, União das Misericórdias Portuguesas, Associação Terra dos Sonhos, Associação Novo Futuro, CAIS, Federação das Associações Portuguesas de Paralisia Cerebral, Humanitas – Federação Portuguesa para a Deficiência Mental, Refúgio Aboim Ascensão, entre outras (saiba mais sobre os projetos da Fundação PT aqui). 

Divulgação da parceria Fundação PT/ Qualcomm, que beneficia Fenacerci e Unicrisano


(26-08-2011)

Este texto está escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico. 

Facebook Twitter Google+